isc-ufba

SOLIDARIEDADE DOS DOCENTES E PESQUISADORES DO INSTITUTO DE SAÚDE COLETIVA-UFBA AO COLEGA EDUARDO HAGE

Os docentes e pesquisadores do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA) vêm a público manifestar total solidariedade ao colega Eduardo Hage do Carmo, pesquisador colaborador do nosso Programa de Pós-Graduação, médico epidemiologista com larga experiência no controle de doenças transmissíveis, profissional da maior competência, reconhecida nacional e internacionalmente, tanto no meio acadêmico, quanto na atuação nos serviços de saúde.

Eduardo Hage foi nosso aluno na graduação em medicina, fez residência em Medicina Social e realizou o Mestrado em Saúde Comunitária e o Doutorado em Saúde Pública, com concentração em Epidemiologia, no ISC/UFBA. Testemunhamos em todas essas experiências que Eduardo Hage sempre pautou sua vida pessoal e profissional pela ética, pelo respeito às leis e pelo compromisso com a Saúde Coletiva e o SUS.Com mais de 30 anos de vida profissional dedicada ao serviço público, atuando em funções acadêmicas e gerenciais, Eduardo Hage ocupou funções estratégicas na implementação da vigilância em saúde em nosso país, tornando-se referência na efetivação do SUS tal como instituídopela Constituição Federal.

Neste sentido, causa-nos enorme perplexidade a notícia de sua prisão preventiva, enquanto ocupava o cargo de subsecretário de Vigilância à Saúde da SES-DF, em meio a investigações de suposta fraude na compra de kits diagnósticos para testagem da Covid-19.

Clamamos portransparência e imediato esclarecimento sobre as razões dessa medida extrema, bem como ressaltamos a importância da presunção de inocência. Em um contexto de propagação de acusações mal fundadas e conclusões precipitadas, não podemos permitir que se atinja a honra de pessoas de bem comprometidas com a melhoria da saúde e das condições de vida dapopulação.

Assinam:

  1. Ana Cristina Souto
  2. Ana Luiza Vilasbôas
  3. Ana Paula dos Reis
  4. Carmen Fontes Teixeira
  5. Catharina Leite Matos Soares
  6. Clarice Santos Mota
  7. Cleber Cremonese
  8. Cristiane Abdon Nunes
  9. Darci Neves dos Santos
  10. Ediná Alves Costa
  11. Erika Aragão
  12. Estela Aquino
  13. Federico Costa
  14. Florisneide R Barreto
  15. Gisélia Santana de Souza
  16. Greice Menezes
  17. Guilherme S Ribeiro
  18. Inês Dourado
  19. Isabela Cardoso Pinto
  20. Ismael H Silveira
  21. Jairnilson S Paim
  22. Joilda Silva Nery
  23. Jorge Jorge Alberto Bernstein Iriart
  24. Leny Trad
  25. Ligia Maria Vieira da Silva
  26. Liliana Santos
  27. Luis Eugenio Portela Fernandes de Souza
  28. Marcele Carneiro Paim
  29. Márcio Santos Natividade
  30. Marcelo Eduardo Pfeiffer Castellanos
  31. Marcos Pereira Santos
  32. Maria da Conceição N Costa
  33. Maria da Glória Teixeira
  34. Maria Guadalupe Medina
  35. Maria Ligia Rangel Santos
  36. Martha Itaparica
  37. Maurício Lima Barreto
  38. Mônica de Oliveira Nunes de Torrenté
  39. Monique Azevedo Esperidião
  40. Naomar de Almeida Filho
  41. Rosana Aquino
  42. Samily Silva Miranda
  43. Sebastião Loureiro
  44. Sheila Maria Alvim de Matos
  45. Vilma Souza Santana
  46. Yara Oyram Ramos Lima
  47. Yukari Figueroa Mise

 

Fiocruz divulga nota sobre prisão do pesquisador Eduardo Hage

No dia 25/8, a Fiocruz tomou conhecimento, pela imprensa, da prisão do então Subsecretário de Vigilância em Saúde do governo do Distrito Federal, Eduardo Hage. O pesquisador, em toda a sua trajetória de vida, vem atuando de modo colaborativo com toda a saúde pública brasileira e com instituições nacionais, como a Fiocruz, dedicando sua vasta experiência ao campo da vigilância em saúde. É necessário reconhecer a sua relevante colaboração ao contexto sanitário brasileiro. Amparada pelo princípio constitucional da presunção de inocência, a Fiocruz espera que os fatos sejam rapidamente esclarecidos e elucidados.

 

fonte: https://agencia.fiocruz.br/fiocruz-divulga-nota-sobre-prisao-do-pesquisador-eduardo-hage

Diretoria da SBMT manifesta solidariedade ao médico Eduardo Hage, que atua na linha de frente do combate ao novo coronavírus no DF

A diretoria da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) manifesta total solidariedade ao Dr. Eduardo Hage, médico epidemiologista com larga experiência no controle de doenças transmissíveis, profissional de saúde de reconhecida competência nacional e internacional e com atuação nos serviços de saúde, bem como no meio acadêmico, e que sempre atuou com forte conprometimento em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).
Foi com grande espanto que a comunidade médica e acadêmica recebeu a notícia do mandado de prisão preventiva do Dr. Hage.
O médico se destacou no governo do Distrito Federal desde quando começou a atuar nas políticas de combate à disseminação do novo coronavírus na capital federal.
A diretoria da SBMT espera lisura dos fatos que envolvem a medida, ao tempo em que ressalta o Artigo 11° da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), “Todos são inocentes até que se prove o contrário”.
Por fim, espera que tamanho mal entendido se resolva o mais breve possível sem macular o nome e a imagem do médico Eduardo Hage.
fonte: https://www.sbmt.org.br/portal/diretoria-da-sbmt-manifesta-solidariedade-ao-medico-eduardo-hage-que-atua-na-linha-de-frente-do-combate-ao-novo-coronavirus-no-df/

Nota sobre a detenção de Eduardo Hage

Fomos surpreendidos esta manhã, 25 de agosto, com a notícia da prisão preventiva do subsecretário de Vigilância à Saúde da SESDF, Eduardo Hage do Carmo, em meio a investigações de suposta fraude na compra de kits diagnósticos para testagem da Covid-19.

Manifestamos aqui nossa total solidariedade ao colega e amigo Eduardo Hage, médico epidemiologista com larga experiência no controle de doenças transmissíveis, profissional de saúde de reconhecida competência nacional e internacional, seja na atuação nos serviços de saúde, seja no meio acadêmico, e que sempre pautou sua vida profissional pela ética e compromisso com o SUS.

Com mais de 30 anos de vida profissional dedicada ao serviço público, atuando em funções técnicas e de gestão, Eduardo Hage ocupou funções estratégicas na implementação da vigilância em saúde em nosso país, tornando-se referência na efetivação do SUS tal como inserido na Constituição Federal: inclusivo, democrático e efetivo.

Exigimos transparência e imediato esclarecimento sobre as razões dessa medida extrema, bem como ressaltamos a importância da presunção de inocência. Numa nova demonstração de interesses na propagação de acusações e conclusões precipitadas, não podemos permitir que essas ações atinjam a honra de pessoas comprometidas com o país.

Rio de Janeiro, 25 de agosto de 2020

Associação Brasileira de Saúde Coletiva – ABRASCO
Associação Rede Unida – REDE UNIDA
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – CEBES
Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares – RNMMP
Sociedade Brasileira de Bioética – SBB
Associação Brasileira de Médicos e Médicas pela Democracia – ABMMD

 

fonte: https://www.abrasco.org.br/site/noticias/posicionamentos-oficiais-abrasco/nota-sobre-a-detencao-de-eduardo-hage/51495/